undefined
arrow_drop_down
arrow_drop_down
Circular da APEBE

Circular da APEBE

APEBE

Associação Pró-Evangélicos do Brasil e Exterior


Sede Nacional: SCS Quadra 02, Bloco C, lote 41, Sala 702,


Edifício Anhanguera, Asa Sul, Brasília/DF., CEP 70.315-900


Circular nacional


A APEBE - Associação Pró-Evangélicos do Brasil e Exterior, entidade com sede em Brasília, que possui representações em 27 (vinte e sete) Estados, 57 (cinquenta e sete) municípios e 09 (nove) países, devidamente registrada como um organismo internacional em Brasília, vem a público solicitar a apoio de igrejas, convenções, associações cristãs, conselhos de pastores de todo Brasil e agremiações que defendam a família, no sentido de manifestar sua indignação e repúdio diante da iminente decisão do STF, com sessão marcada para o próximo dia 11 de novembro, em ação movida pelo PSOL, por meio da ADIN 5668, com relatoria do Ministro Edson Fachin, em que requer na petição inicial, assinada pelo advogado do PSOL, Dr Paulo Roberto Iotti Vecchiatti” que além do ensino obrigatório de teoria de gênero nas escolas, “que aceite-se como normal que duas crianças do mesmo sexo/gênero, bem como se respeitem namoros homoafetivos entre adolescentes da mesma forma que se aceitam namoros heteroafetivos entre adolescentes; já em termos de identidade de gênero, que se respeite o nome social de crianças e adolescentes que se identifiquem com o gênero oposto àquele que lhes foi designado em razão de seu genital ou sexo biológico, bem como seja-lhes permitido vestir-se e portar-se de acordo com sua identidade de gênero transgênera” (transcrição do pedido nº 1 da petição inicial), isso tudo dentro do ambiente escolar do ensino fundamental e médio. Por esse e por vários outros argumentos contidos nas 52 páginas da petição inicial do PSOL, a APEBE vem a público repudiar essa estratagema jurídica para, mais uma vez, tentar burlar o sistema legiferante nacional.


No próximo dia 11/11 (quarta) o STF vai julgar um pedido do PSOL, uma ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) em que pede que o STF determine às escolas públicas e particulares de todo Brasil, para que ensinem crianças e adolescentes sobre diversidade de gênero, sob o pretexto de “respeito” e de se evitar “bulling”, querem agora ensinar sobre sexualidade homossexual, portanto, obrigando que nosso sistema educacional brasileiro seja ensinado sobre ideologia de gênero para nossas crianças já a partir de 2021. A esquerda, a tudo custo, quer "empurrar" essa sandice ideológica destrutiva dos valores morais e cristãos às nossas crianças e adolescentes. Perderam na Câmara dos Deputados, no Senado e nas câmaras municipais, há alguns anos, e agora querem por meio de uma estratégia ardilosa jurídica, burlar o sistema legislativo nacional para, por meio do STF, obrigar as escolas a ensinarem ideologia de gênero. Dessa forma, queremos convidar todas as lideranças, igrejas evangélicas do Brasil, famílias e cristãos de um modo geral, a apoiarem e se mobilizarem numa campanha nacional contra essa nefasta estratégia da socialista, anarquista, ateia e anticristã. Peço a todos que:


1) Mobilizem intercessões, oração e jejum em todo Brasil no dia 11/11 em favor dessa causa, e também dos rumos da nossa nação diante desse quadro;


2) Quem puder, esteja conosco no dia 11/11 em Brasília, para uma vasta programação que inclui carreatas, atos em frente ao STF, orações e jejum nacional, reuniões com lideranças políticas em Brasília para impedir que isso seja deferido elo STF, etc;


3) Peço que o nosso advogado geral nacional da APEBE e que outros advogados de igrejas e convenções se habilitem como "amicus curiae" com direito a fala no plenário do STF no dia da sessão;


4) Peço que os advogados evangélicos ações conjuntas em seus respectivos TRF's com pedidos de tutelas antecipatórias ou liminares para impedir que se apliquem efeito erga omnes (estendendo a decisão a todos) bem como utilizem-se de outras estratégias jurídicas pertinentes para impedir a aplicação prática em caso de uma possível decisão favorável ao pleito do PSOL;


5) Mobilizem o povo evangélico a realizarem no dia 11/11 atos presenciais ou virtuais em todo país alertando sobre os perigos dessa possível decisão do STF;


6) Mobilizações conjuntas em todos os Estados Brasileiros junto a Deputados Federais e Senadores para que proponham ações judiciais junto ao STF no sentido de impedir que essa decisão seja imposta pela via da justiça, e para impedir que o STF venha se tornar em um instrumento de manipulação dessa militância para burlar o sistema legislativo brasileiro.


Entendam que esta causa não é de apenas uma igreja, convenção, entidade ou associação, é de todos nós cristãos! O que nos une neste momento é maior: a defesa da família e da educação de nossas crianças e adolescentes nas escolas sem interferência de doutrinação e militância LGBT. Para mais informações nos chame pelo whatsapp: +5596991501008


Brasília (DF), em 26 de outubro de 2020.


Pr Gesiel de Souza Oliveira

Presidente Internacional da APEBE