Fotos IBP

Inhame



É um alimento funcional, ou seja, fornece ao organismo outros benefícios, além de seus nutrientes. Grande parte das propriedades funcionais do inhame se deve à presença de um fito-hormônio chamado diosgenina que pode ser convertida, no organismo humano, em hormônios como progesterona, aldosterona, cortisol e estrogênio.

Um estudo em humanos verificou o efeito da diosgenina na saúde da mulher na pós-menopausa e concluiu que a ingestão de inhame por 30 dias teve efeitos benéficos no estado hormonal, no perfil lipídico – gordura - e na capacidade antioxidante das mulheres analisadas. Estes fatores levam à redução do risco de desenvolvimento de câncer de mama e de doenças cardiovasculares.

A capacidade de modular o estado hormonal da diosgenina acaba transformando o inhame numa potente “arma” contra os efeitos indesejados da tensão pré-menstrual, a TPM. Por sua característica antioxidante e consequentemente antiinflamatória, a diosgenina do inhame tem sido associada à melhora do déficit cognitivo e também demonstrou atividade antialérgica, em um estudo com animais. Outro efeito da diosgenina é a capacidade de reduzir o colesterol sanguíneo e hepático (fígado) por suprimir a absorção intestinal e aumentar a sua excreção, aumenta também os níveis de HDL (colesterol bom) no sangue.

Por ser composto por carboidrato complexo, baixo conteúdo de gordura, baixo índice glicêmico - capacidade de chegar ao sangue como glicose, alto teor de fibras e micronutrientes, o inhame ou cará é um alimento rico que também auxilia no controle de peso.

 

Ádila Mizrahy

Nutricionista